Doutrinas

Doutrinas Fundamentais da Comunidade da família de Deus

 

Ponto 1- As Escrituras Sagradas

O antigo e novo testamento constituem as escrituras sagradas e representam a palavra de Deus escrita, e a inspiração do Espírito Santo através de homens santos que falaram e escreveram em nome de Deus. Na bíblia, DEUS nos deixou seu plano de salvação, e revelou sua vontade. Nela estão escritos os atos fidedignos de Deus na historia do mundo.

A Comunidade da família de Deus crê que a Bíblia é a única regra de fé confiável e infalível, pois é a Palavra e também a vontade do Criador,revelada aos profetas e servos de Deus no passado (Hebreu 1:1 e 1ª Pedro 1:10 a 13), os quais foram inspirados pelo Espírito Santo de Deus a escrevê-la em linguagem humana (2ª Pedro 1:19 a 21). Por isso tudo da Palavra de Deus tem os seguintes (e outros) atributos à nossa vida:

·                    Ser a verdade em nossa verdade (Jo 17:17).

·                    É eterna

·                    Nos dar a vida eterna (João 5:39).

·                    Testificar de Cristo (João 5:39).

·                    Ensinar, corrigir, instruir na justiça, etc (2ª Timóteo 3:16).

 

 

Ponto 2 - Monoteísmo

Somos Monoteístas e cremos que Deus – Um é único ( Dt. 6:4  Mat. 12:29 ) – Criou todas as coisas ( Gn 1:1 ) para o seu louvor ( Sl 148 ).É o criador, originador, mantenedor de toda a criação. Nos ama com muita fidelidade. Tudo que faz esta em completa harmonia com seu filho Jesus Cristo e o Espírito Santo, e os poderes e adjetivos neles apresentados também são manifestos em Deus Pai


Ponto 3 – Jesus Cristo ( Filho )

É o filho eterno de Deus (Pai). O filho desceu ao mundo como Jesus Cristo. O filho é nosso intercessor perante Deus, o justo juiz. Foi concebido como humano pelo Espírito Santo e nasceu da virgem Maria. Viveu como humano e experimentou todo tipo de tentação que nos enfrentamos. Morreu, ressuscitou e prometeu que virá outra vez.

Cremos em Jesus  ( Yeshua haMashiach ), como Filho Primogênito ( Rom. 8:29) e unigênito de Deus ( Jo. 3:16  Heb. 11:17 ) e expressão máxima de sua presença manifesta em forma plenamente Humana ( Rom. 5:15). Sem ele não há salvação.

 

Ponto 4 – Espírito Santo (Ruach HaKodesh)

O Espírito Santo desempenha parte ativa junto ao Pai e ao Filho. Esteve junto na criação. Inspirou os escritores da bíblia revelando-lhes a mensagem de Deus. Concedeu poder a Jesus, quando este esteve aqui na Terra. Sua função é convencer o pecador de seus pecados. Tem poder e autoridade para transformar qualquer pessoa, desde que receba permissão. Desceu ao mundo após a morte de Jesus, para ser nosso consolador.

 

Ponto 5 - A Criação

Foi revelado através das escrituras sagradas e da Natureza que Deus é o criador de todas as coisas.

 

Ponto 6 - A Natureza do Homem

Os seres humanos, o homem e mulher, foram criados a imagem e semelhança de Deus. Mas receberam do próprio Deus o direito de pensar e agir individualmente. Todo ser humano é livre. Após o pecado a imagem de Deus foi desfigurada e o ser humano ficou sujeito a morte. A partir daí todos nascem com fraquezas e com tendências pecaminosas. Fomos criados para a glória de Deus. E somos chamados para ama–lo e a amarmos uns aos outros.

 

Ponto 7 - O Grande Conflito

 Esse conflito se originou no céu, quando uma criatura criada por Deus conduziu uma rebelião, confrontando o caráter de Deus e a sua soberania sobre o universo. Após a criação, o pecado entrou no mundo e todos nos fomos envolvidos nesse conflito de Deus contra satanás.

 

Ponto 8 - Vida, Morte e ressurreição de Cristo

Quando Jesus veio ao mundo manteve sua vida em total harmonia com a vontade de Deus. Sua morte e substituinte e expiatória, reconciliadora e transformadora. E a sua ressurreição exalta a vitória de Deus, perante as forças do mal e nos dá a vitória final sobre o pecado.

 

Ponto 9 - A Experiência da Salvação

Nessa experiência somos guiados pelo Espírito Santo a sentirmos necessidade de Deus, reconhecemos nossas falhas e pecados e arrependermos de nossas transgressões. Para obtermos essa experiência de salvação, precisamos ter , guardando seus ensinamentos temos domínio sobre o pecado apresentado pelo Espírito Santo. Permanecendo nele, nos tornamos participantes de sua natureza e temos a certeza da salvação.

 

Ponto 10 - Crescimento em Cristo


Pela sua morte na cruz Jesus triunfou sobre as forças do mal. Ele subjugou os espíritos de demônios durante o Seu ministério terrestre e quebrou o seu poder e tornou certo o seu destino final. A vitória de Jesus dá-nos vitória sobre as forças do mal que continuam procurando controlar-nos, enquanto nós caminhamos com Ele em paz, alegria, e a garantia do Seu amor. Agora o Espírito Santo mora conosco e nos dá poder. Continuamente comprometidos com Jesus como nosso Salvador e Senhor, somos livres do fardo dos nossos feitos passados. Não mais vivemos na escuridão, com medo dos poderes do mal, ignorância, e a falta de sentido de nosso antigo estilo de vida. Nessa nova liberdade em Jesus, somos chamados a crescer na semelhança de Seu caráter, comungando com Ele diariamente em oração, alimentando-nos de Sua Palavra, meditando nisso e em Sua providência, cantando Seus louvores, reunindo-nos juntos em adoração, e participando na missão da Igreja. Na medida em que nos entregamos ao serviço de amor àqueles ao nosso redor e ao testemunho da Sua salvação, Sua constante presença conosco através do Espírito transforma cada momento e toda tarefa numa experiência espiritual. Razões bíblicas: Salmos 1:1, 2; 23:4; 77:11, 12; Colossenses 1:13, 14; 2:6, 14, 15; Lucas 10:17-20; Efésios 5:19, 20; 6:12-18; I Tessalonicenses 5:23; II Pedro 2:9; 3:18; II Corintios 3:17, 18; Filipenses. 3:7-14; I Tessalonicenses 5:16-18; Mateus 20:25-28; João 20:21; Gálatas 5:22-25; Romanos 8:38, 39; I João 4:4; Hebreus 10:25.

 

Ponto 11 - A Igreja


A Igreja é a comunidade de crentes que confessam a Jesus Cristo com Senhor e Salvador. Em continuidade do povo de Deus nos tempos do Velho Testamento, somos chamados para fora deste mundo; e nos unimos para prestar culto para comunhão, para instrução na Palavra, para a celebração da Ceia do Senhor, para serviço a toda humanidade e para a proclamação mundial do evangelho. A igreja recebe sua autoridade de Cristo, o qual é a Palavra encarnada, e das Escrituras, que são a Palavras escrita. A Igreja é a família de Deus; adotados por Ele como filhos, seus membros vivem com base no novo concerto. A Igreja é o corpo de Cristo, uma comunidade de fé, da qual o próprio Cristo é a Cabeça. A Igreja é a Noiva pela qual Cristo morreu para que pudesse santificá-la e purificá-la. Em Sua volta triunfal, Ele a apresentará a Si mesmo Igreja gloriosa, os fiéis de todos os séculos, a aquisição de Seu sangue, sem mácula, nem ruga, porém santa, sem defeito. Razões Bíblicas|Gên. 12:3; Atos 7:38; S. Mat. 21:43; 16:13-20; S. João 20:21 e 22; Atos 1:8; Rom. 8:15-17; I Cor. 12:13-27; Efés. 1:15 e 23; 2:12; 3:8-11 e 15; 4:11-15

 

Ponto 12 - O Remanescente e Sua Missão

A Igreja se compõe de todos os que verdadeiramente crêem em Cristo; mas, nos últimos dias, um tempo de ampla apostasia, um remanescente tem sido chamado para fora a fim de guardar os mandamentos de Deus e a fé em Jesus. Este remanescente anuncia a chegada da hora do Juízo, proclama a salvação por meio de Cristo e prediz a aproximação de Seu segundo advento. Esta proclamação é simbolizada pelos três anjos do Apocalipse 14; coincide com a obra do julgamento no Céu e resulta numa obra de arrependimento e reforma na Terra. Todo crente é convidado a ter uma parte pessoal neste testemunho mundial. Razões Bíblicas|S. Mar. 16:15; S. Mat. 28:18-20; 24:14; II Cor. 5:10; Apoc. 12:17; 14:6-12; 18:1-4; Efés. 5:22-27; Apoc. 21:1-14)

 

Ponto 13 - Unidade no Corpo de Cristo


A Igreja é um corpo com muitos membros, chamados de nação, tribo, língua e povo. Em Cristo somos uma nova criação; distinções de raça, cultura e nacionalidade, e diferenças entre altos e baixos, ricos e pobres, homens e mulheres, não deve ser motivo de dissenções entre nós. Todos somos iguais em Cristo, o qual por um só Espírito nos uniu numa comunhão com Ele e uns com os outros; devemos servir e ser servidos sem parcialidade ou restrição. Mediante a revelação de Jesus Cristo nas Escrituras partilhamos a mesma fé e esperança e estendemos um só testemunho para todos. Esta unidade encontra sua fonte na unidade do Deus único, que nos adotou como Seus filhos. Razões Bíblicas|Sal. 133:1; I Cor. 12:12-14; Atos 17:26 e 27; II Cor. 5:16 e 17; Gál. 3:27-29; Col. 3:10-15; Efés. 4:1-6; S. João 17:20-23; S. Tiago 2:2-9; I S. João 5:1

 

 

Ponto 14 - O Batismo

Pelo batismo confessamos nossa fé na morte e ressurreição de Jesus Cristo, e atestamos nossa morte para o pecado e nosso propósito de andar em novidade de vida. Assim reconhecemos a Cristo como Senhor e Salvador, tornamo-nos Seu povo e somos aceitos como membros por Sua Igreja. O batismo é um símbolo de nossa união com Cristo, do perdão de nossos pecados e de nosso recebimento do Espírito Santo. É por imersão em águas correntes naturais e em nome de Jesus Cristo, conforme nos assegura a Nova Aliança e depende de uma afirmação da fé em Jesus e da evidência de arrependimento do pecado.

Atos: 2:38,41  / 10:47,48 / 8:16 / 19:4,5 /ICorintios 1:13 / 6:11 / Romanos 6:3 / Gálatas 3:27

 

Ponto 15 - A Ceia do Senhor e o Lava pés

A Ceia do Senhor é uma participação nos emblemas do corpo e do sangue de Jesus, como expressão de fé nEle, nosso Salvador e Senhor. Nessa experiência de comunhão, Cristo está presente para encontrar-Se com Seu povo e fortalecê-lo. Participando da Ceia, proclamamos alegremente a morte do nosso Senhor até que Ele volte. A preparação envolve o exame de consciência, o arrependimento e a confissão. O Serviço da Comunhão é franqueado a todos os crentes cristãos.A Ceia é ministrada com Pães ázimos ( 1 Co. 5:7-8 ) e o fruto da vide puro, sem açúcar, sem aditivos e sem conservantes, como puro também é o sangue do cordeiro.. Razões Bíblicas|S. Mat. 26:17-30; I Cor. 11:23-30; 10:16 e 17; S. João 6:48-63; Apoc. 3:20; S. João 13:1-17; I Cor. 5: 7-8.  Lava pés é um mandamento de Jesus não apenas um ritual, nem a prática de lavar os pés sujos por anderem de sandálhas, a prática de lavarem os pés por andarem de sandalha existia, mas aqui eles já estão dentro da casa, já haviam ceado e após a ceia, Jesus ensinou como exemplo para os Dicípulos fazerem, e a igreja primitiva adotou esse ensinamento. João 13  e I Timóteo 5:10


Ponto 16 - Dons e Ministérios Espirituais

Deus concede a todos os membros de Sua Igreja, em todas as épocas, dons espirituais que cada membro deve empregar em amoroso ministério para o bem comum da Igreja e da humanidade. Sendo outorgados pela atuação do Espírito Santo, o qual distribui a cada membro como Lhe apraz, os dons provêem todas as aptidões e ministérios de que a Igreja necessita para cumprir suas funções divinamente ordenadas. De acordo com as Escrituras, esses dons abrangem tais ministérios como a fé, a cura, profecia, proclamação, ensino, administração, reconciliação, compaixão, e serviço abnegado e caridade para ajuda e animação das pessoas. Alguns membros são chamados por Deus e dotados pela Espírito para funções reconhecidas pela Igreja em ministérios pastorais, evangelísticos, apostólicos e de ensino especialmente necessários para habilitar os membros para o serviço, edificar a Igreja com vistas à maturidade espiritual e promover a unidade da fé e do conhecimento de Deus. Quando os membros utilizam esses dons espirituais como fiéis despenseiros da multiforme graça de Deus, a Igreja é protegida contra a influência demolidora de falsas doutrinas, tem um crescimento que provém de Deus e é edificada na fé e no amor. Razões Bíblicas|Rom. 12:4-8; I Cor. 12:9-11, 27 e 28; Efés. 4:8 e 11-16; II Cor. 5:14-21; Atos 6:1-7; I Tim. 2:1-3; I S. Ped. 4:10 e 11; Col. 2:19; S. Mat. 25:31-36

 

 

Ponto 17 - A Lei de Deus

Os grandes princípios da lei de Deus são incorporados nos Dez Mandamentos e exemplificados na vida de Cristo. Expressam o amor, a vontade e os propósitos de Deus acerca da conduta e das relações humanas, e são obrigatórias a todas as pessoas, em todas as épocas. Estes preceitos constituem a base do concerto de Deus com Seu povo e a norma no julgamento de Deus. Por meio da atuação do Espírito Santo, eles apontam para o pecado e despertam o senso da necessidade de um Salvador. A Salvação é inteiramente pela graça, e não pelas obras, mas seu fruto é a obediência aos ensinamentos de Deus. Essa obediência desenvolve o caráter cristão e resulta numa sensação de bem-estar. É uma evidência de nosso amor ao Senhor e de nossa solicitude por nossos semelhantes. A obediência da fé demonstra o poder de Cristo para transformar vidas, e fortalece, portanto, o testemunho cristão. Razões Bíblicas|Êxo. 20:1-17; S,. Mat. 5:17; Deut. 28:1-14; Sal. 19:7-13; S. João 14:15; Rom. 8:1-4; I S. João 5:3; S. Mat. 22:36-40; Efés. 2:8

 

Ponto 18 - O Sábado

O Sábado é o dia do Senhor, a mudança do sábado para o domingo foi instituído pela igreja Católica Apostólica Romana,foi uma legislação do imperador romano Constantino I, proclamada em 7 de março de 321.e suas crenças não tem valor alguns para a Comunidade da família de Deus, pois seguimos os ensinamentos de Jesus e  não os de Constantino.. Razões Bíblicas|Gên. 2:1-3; Êxo. 20:8-11; 31:12-17; S. Luc. 4:16; Heb. 4:1- 11; Deut. 5:12-15; Isa. 56: 5 e 6; 58:13 e 14; Lev. 23:32; S. Mar. 2 e S. Mateus 12 (ler capítulo inteiro) favor não ler somente versículos e sim todo o capitulo.

Maiores informações: http://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%89dito_de_Constantino

 

Ponto 19 - Mordomia

Somos despenseiros de Deus, responsáveis a Ele pelo uso apropriado do tempo e das oportunidades, posses, e das bênçãos da Terra e seus recursos, que Ele colocou sob o nosso cuidado. Reconhecemos o direito de propriedade da parte de Deus por meio do fiel serviço a Ele e a nossos semelhantes, e devolvendo os dízimos e dando ofertas para a proclamação de Seu evangelho e para a manutenção e o crescimento de Sua Igreja. A mordomia é um privilégio que Deus nos concede para o desenvolvimento no amor e para a vitória sobre o egoísmo e a cobiça. O mordomo se regozija nas bênçãos que advêm aos outros como resultado de sua fidelidade Razões Bíblicas|Gên. 1:26-28; 2:15; Ageu 1:3-11; Mal. 3:8-12; S. Mat. 23:23; I Cor. 9:9-14

 

Ponto 20 - Conduta Cristã

Somos chamados para ser um povo piedoso que pensa, sente e age de acordo com os princípios do Céu. Para que o Espírito recrie em nós o caráter de nosso Senhor, nós só nos envolvemos naquelas coisas que produziram em nossa vida pureza, saúde, e alegria semelhantes às de Cristo. Isto significa que nossas diversões e entretenimentos devem corresponder aos mais altos padrões de gosto e beleza cristãos. Embora reconheçamos diferenças culturais, nosso vestuário deve ser simples, modesto e de bom gosto, apropriado àqueles cuja verdadeira beleza não consiste no adorno exterior, mas no ornamento imperecível de um espírito manso e tranqüilo. Significa também que, sendo o nosso corpo o templo do Espírito Santo, devemos cuidar dele inteligentemente. Junto com adequado exercício e repouso, devemos adotar alimentação mais saudável possível e abster-nos dos alimentos imundos identificados nas Escrituras. Visto que as bebidas alcóolicas, o fumo e o uso irresponsável de medicamentos e narcóticos são prejudiciais a nosso corpo, também devemos abster-nos dessas coisas. Em vez disso, devemos empenhar-nos em tudo que submeta nossos pensamentos e nosso corpo à disciplina de Cristo, o qual deseja nossa integridade, alegria e bem-estar. Razões Bíblicas|I S. João 2:6; Efés. 5:1-13; Rom. 12:1 e 2; I Cor. 6:19 e 20; 10:31; I Tim. 2:9 e 10; Lev. 11:1-47; II Cor. 7:1; I S. Ped. 3:1-4; II Cor. 10:5; Filip. 4:8)

Colocação:É totalmente contrário as normas da igreja Comunidade da família de Deus Homens ou mulheres receberem caronas de outra pessoas sem companhia ( isso inclui para casais de namorados ).

Sexo:

A Bíblia em  (At 15.29, Mt 5.32,  I Co 6.18, Deut 22:20-21; Job 31.1; Acts 15:20,29; 1Cor 5:1-13; 6:9-10,13,15,18; Gal 5:19,21; Eph 5:5,8,11-12;1Tim 1:10; Heb 12.16; Apo 21.8 )condena o sexo antes do casamento e a igreja também não tolera essa atitude. A Punição interna é de afastamento dos cargos ministeriais até que regularize a situação, e para casos passageiros o afastamento dos cargos é de 01 Ano.

Em caso de adultério:deverá ser reunido o conselho da igreja para análise da situação, mas em casos extremos de gravidade poderá o praticante ser afastado por tempo indeterminado.

 

Ponto 21 - Matrimônio e Família

O casamento foi divinamente estabelecido no Éden e confirmado por Jesus como união vitalícia entre um homem e uma mulher, em amoroso companheirismo. Para o cristão, o compromisso matrimonial é com Deus bem como com o cônjuge, e só deve ser assumido entre parceiros que partilham da mesma fé. Mútuo amor, honra, respeito e responsabilidade constituem a estrutura dessa relação, a qual deve refletir o amor, a santidade, a intimidade e a constância da relação entre Cristo e Sua Igreja. No tocante ao divórcio, Jesus ensinou que a pessoa que se divorcia do cônjuge, a não ser por causa de fornicação, e casar-se com outro, comete adultério. Conquanto algumas relações de família fiquem aquém do ideal, os consortes que se dedicam inteiramente um ao outro, em Cristo, podem alcançar amorosa unidade por meio da orientação do Espírito e a instrução da Igreja. Deus abençoa a família e tenciona que seus membros ajudem um ao outro a alcança completa maturidade. Os pais devem educar os seus filhos a amar o Senhor e a obedecer-Lhe. Por seu exemplo e suas palavras, que Cristo é um disciplinador amoroso, sempre terno e solícito, desejando que eles se tornem membros de Seu corpo, a família de Deus. Crescente intimidade familiar é um dos característicos da mensagem final do evangelho Razões Bíblicas|Gên. 2:18-25; Deut. 6:5-9; S. João 2:1-11; Efés. 5:21-33; S. Mat. 5:31 e 32; 19:3-9; Prov. 22:6; Efés. 6:1-4; Mal. 4:5 e 6; S. Mar. 10:11 e 12; S. Luc. 16:18; I Cor 7:10 e 11


Ponto 22 - Vestimenta

Por questão de ética, o cristão deve estar com vestimenta adequadas.

Mulheres:A bíblia não faz referencia como por exemplo calça cumprida, a referencia bíblica é para que a mulher não use vestimenta masculina, com o fato de parecer como homem.

Nos tempos antigos não existia calças, somente túnicas, o fato era da mulher não usar a túnica do homem e o homem não usar a túnica da mulher, isso cabe as calças femininas e calças masculinas ., Não haverá trajo de homem na mulher, e não vestirá o homem veste de mulher; porque qualquer que faz isto abominação é ao SENHOR, teu Deus. Deut. 22:5

Deverá ter prudência em não usar roupas coladas como por exemplo Calças legues e etc.

Saias Devem ser em cima do Joelho para evitar  se expor e não cometer o pecado da lacívia.

A fé não deve ser expressa só dentro da igreja, na escola, trabalho etc...

Cuidados excessivos nas praias, excluído por total roupas como biquínis , etc...

 

Homens:Evitar se possível shorts, Substitua por uma bermuda.

Evitar mangas cavadas dentro do templo, e camisas transparentes, calças coladas.

Praias e Piscinas:Atenção, todo cuidado nas praias e piscinas ( Não somente nos eventos da igreja, mas no dia a dia do cristão), a vestimenta masculina deverá ser da seguinte forma:

Bermuda, e camisetas ( nunca sungas e sem camisa )

A Vestimenta feminina deverá ser da seguinte forma: Shorts, e camisetas ( Nunca camiseta branca, Biquíni ou maiôs )

A punição interna da igreja para quebra deste regimento interno é de 03 meses de afastamento do cargo ministerial.

Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstiaI Tim. 2.9

“Fugi da impureza. Qualquer outro pecado que uma pessoa cometer é fora do corpo; mas aquele que pratica a imoralidade peca contra o próprio corpo (I Coríntios 6:18)

Leia também : Marcos 7:21-22; Gálatas 5:19; Efésios 4:17-19, entre outras.


Ponto 23 - Morte e Ressurreição

O salário do pecado é a morte. Mas Deus, o único que é imortal, concederá vida eterna a Seus remidos. Até aquele dia, a morte é um estado inconsciente para todas as pessoas. Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, os justos ressuscitados e os justos vivos serão glorificados e arrebatados para o encontro de seu Senhor. A segunda ressurreição, a ressurreição dos ímpios ocorrerá 1000 anos mais tarde. Razões Bíblicas|I Tim. 6:15 e 16; Rom. 6;23; I Cor. 15:51-54; Ecles. 9:5 e 6; Sal. 146:4; I Tess. 4:13-17; Rom. 8:35-39; S. João 5:28 e 29; Apoc. 20:1-10; S. João 5:24

 

Ponto 24 - O Milênio e o Fim do Pecado

O milênio é o reinado de mil anos de Cristo de Seus santos, em Jerusalém, entre a primeira e a segunda ressurreições. Durante esse tempo serão julgados os ímpios mortos; a Terra estará completamente sobre o controle de Jesus  e seus anjos.Após 1000 anos Os ímpios mortos serão então ressuscitados e, com Satanás e seus anjos, cercarão a cidade; mas o fogo de Deus os consumirá e purificará a Terra. O universo ficará assim eternamente livre do pecado e dos pecadores. Razões Bíblicas|Apoc. 20; Zac. 14:1-4; Jer. 4:23-26; I Cor. 6; II S. Ped. 2:4; Ezeq. 28:18; II Tess. 1:7-9; Apoc. 19:17, 18 e 21

ÚLTIMAS NOTÍCIAS




Nosso Whatsapp

 (19)99163-9943

Visitas: 3177
Usuários Online: 5
Copyright (c) 2021 - Comunidade Familia de Deus